Matriz de Santa Bárbara é tombada pelo município

A Igreja Matriz de Santa Bárbara foi tombada como patrimônio cultural, histórico e arquitetônico, conforme decreto de número° 6.796 de 9 de janeiro de 2018, publicado no Diário Oficial do Município.

A ação integra o Programa de Incentivo ao Patrimônio Histórico dos 200 anos de Santa Bárbara d’Oeste.

A indicação de Tombamento Municipal foi registrado pelo Codepasbo (Conselho Municipal de Defesa do Patrimônio Cultural de Santa Bárbara d’Oeste).

A área tombada possui 2.256,01 m², localizada nas ruas Dona Margarida, General Osório e Santa Bárbara com a Praça Rio Branco.

HISTÓRIA

Dona Margarida da Graça Martins, fundadora do Município de Santa Bárbara d’Oeste, doou à Cúria Paulistana terras para que fosse construída uma capela em louvor à Santa Bárbara, que foi erguida em 1818, ano que marcou a fundação da cidade.

Com o passar do tempo, nos arredores da capela, foi se constituindo o núcleo urbano, surgindo uma povoação de lavradores dedicados à indústria do açúcar e produção de cereais. Alguns armazéns e oficinas de ferreiros ali se instalaram. Enfim, no dia 18 de fevereiro de 1842, foi criada então oficialmente a Paróquia Santa Bárbara.

A primeira construção da Igreja de Santa Bárbara era uma capela, de pau a pique, e foi demolida para ser construída outra de alvenaria no mesmo local, no ano de 1883. A construção da torre da igreja foi iniciada em 8 de fevereiro de 1912, e concluída em dezembro de 1917.

Em setembro de 1946 foi colocado um novo relógio da torre da Matriz e em agosto de 1949 foram instalados três vitrais com cenas da Santa Ceia na Capela do Santíssimo e com a vida de Santa Bárbara. De 1968 até hoje o local passou por diversas reformas.